II Encontro de Assembleias Populares – Coimbra, 2 e 3 de fevereiro

Esta fin-de-semana, días 2 e 3 de fevereiro, decorreu o II Encontro de Assembleias Populares em Coimbra. A convocatória era dirigida a assembleias e outro tipo de coletivos horizontais, tanto portugueses como estrangeiros.

Assim, conta-mos com a participação de ativistas ligadas ás Assembleias Populares de Coimbra, Évora, Graça e Santarém, os Indignados de Lisboa, a plataforma antimilitarista PAGAN e outras pessoas que assistiram a título individual. A nível internacional, conta-mos com a presença da Assembleia Aberta de Santiago de Compostela, a Comissão Internacional de Barcelona, a Comissão de Comunicação de Madrid e o coletivo People Witness.

O Encontro começou com uma breve ronda de apresentações das pessoas e coletivos presentes. Exprimiu-se o trabalho já realizado e os projetos a decorrer. Também se fez uma partilha de problemas e obstáculos percebidos.

A seguir, formamos grupos de trabalho para aprofundarem no debate em torno a três eixos: alternativas para ultrapassar os obstáculos encontrados (tanto em quanto a ações como a metodologia de funcionamento), construção de ferramentas de comunicação interna e externa, e articulação com outros coletivos e movimentos sociais.

Já a noite, abordou-se a temática das ocupações a través da projeção dos documentários sobre as experiências de São Lázaro 94 em Lisboa e a Es.Col.A da Fontinha no Porto.

O domingo dia 3 fizemos a partilha das ideias que surgiram nos grupos de trabalho. A tarde foi dedicada a um workshop sobre criação de ferramentas web de comunicação, com a sua aplicação prática no contexto deste II Encontro ao desenvolver estruturas para a manutenção de comunicação fluida entre as participantes.

A Assembleia Popular de Coimbra assumiu um ano mais o rol de anfitriã, com a organização da cozinha comunitária e ao facilitar o acolhimento das visitantes a través da rede de Repúblicas da cidade.

Também houve tempo para a abertura doutros debates e discussões, e para o estabelecimento de ligações informais cumprindo o objetivo transversal do Encontro: a criação de redes inter-assembleares face a uma maior coordenação.